Ao Vivo
 
 
Siga ao vivo

IGREJA

Envolvimento dos jovens na Amazônia seria exemplo para o mundo

Envolvimento dos jovens na Amazônia seria exemplo para o mundo

A Diocese de Macapá é a única diocese católica de todo o Amapá, mas já em 1752 havia lá uma circunscrição religiosa: a Paróquia de São José de Macapá. Hoje vivem neste estado, de área equivalente à metade da Itália, pouco menos de 700 mil pessoas, menos de cinco por km2.  73% da área estadual é coberta pela Floresta Amazônica e cerca de 72% do território do estado são destinados a unidades de conservação, terras indígenas e comunidades quilombolas, descendentes de escravos africanos, que começaram a chegar na área no século XVIII. O Amapá abriga o Parque Nacional das Montanhas do Tumucumaque, o maior do país e um dos maiores do mundo, com cerca de 3,9 milhões de hectares. Localizado ao noroeste do território estadual, é de extrema relevância por abrigar um elevado número de espécies endêmicas e diferentes grupos tradicionais como indígenas, ribeirinhos e castanheiros. Quem é o bispo Existem no Amapá quarenta e nove aldeias distribuídas em cinco terras indígenas demarcadas. O bispo de toda esta diocese é Dom Pedro José Conti, italiano de Brescia mas amazônico desde 1983, quando chegou ao Pará como missionário, e acabou ficando. Ele foi contatado pela reportagem Voz da Amazônia, e a mídia da Santa Sé abre este espaço para contar a sua realidade e relevar a esperança do bispo: “envolvendo os jovens, a Amazônia pode ser um exemplo para o mundo inteiro”:   A exploração desenfreada “O Amapá tem uma experiência de mais de 50 anos com a exploração de minérios, especialmente o manganês. A nossa preocupação é que as firmas cheguem aqui, tirem da Amazônia o que lhes interessa e o que sobra para a população é a poluição, a destruição, e muitas vezes, o desemprego. Por isso, são necessários planos mais organizados e sobretudo garantias de que não se repita o costume: vêm, pegam, e não fica nada para o povo daqui. Precisaria pensar melhor e envolver a população, que sabe como conviver com a floresta, por exemplo, os povos indígenas que convivem há séculos com a mata, com o peixe, as plantas, o que a mata produz..." O ensinamento que os nativos podem oferecer "Portanto, por que não aprender com os povos locais, da Amazônia, a respeitar a natureza, aproveitar o que ela oferece, tanta abundância, tanta fartura, mas sem destruí-la, mas ao contrário, na preservação ou até na reposição de tantas árvores, plantas nativas, que estão sendo cortadas na exploração das madeireiras...”. Enfim, o envolvimento dos jovens: o futuro da Amazônia “O envolvimento dos jovens seria um exemplo para o mundo inteiro. O Papa Francisco sugeriu até ‘o desafio da Amazônia’, quando veio à JMJ (em 2013) porque a população que estuda, que está na universidade, deveria tomar conta de sua região, de sua realidade, e por que não, da riqueza também aqui?... Claro, lembrando que estamos  num sistema complexo, que não é fácil organizar, administrar... mas sem dúvida, ouvindo a população, deixando espaço e pensando no futuro, na preservação ambiental, no respeito ao clima, à água, ao ar da Amazônia, pela saúde do mundo inteiro e do planeta todo, é necessário e fundamental que os jovens colaborem com os projetos futuros da Amazônia”.   Conheça o projeto O Projeto Voz da Amazônia foi realizado pela Equipe de Comunicação da Rede Eclesial Pan-Amazônica, Repam, em colaboração com a Verbo Filmes, produtora católica ligada à Congregação dos Missionários do Verbo Divino, e o Instituto Humanitas UNICAP, dos jesuítas. A equipe é formada pela Irmã Osnilda Lima, assessora de imprensa da REPAM-Brasil, o documentarista da Verbo Filmes, Gaspar Guimarães e Paulo Airton Maia, fotógrafo do Instituto Humanitas da Unicap.  
Confirmados na Fé

Confirmados na Fé

Nossa Igreja Católica está cada dia mais ativa e perseverante em nossas comunidades. Ordenações (diaconais e presbiterais), investidura nos ministérios, ingresso nos seminários. Os fiéis renovam sua fé a cada dia em nossa Diocese.   E durante esse final de semana, os jovens (e adultos também) de Ibatiba, Irupi e Itapemirim confirmaram sua fé no Sacramento do Crisma.   No sábado, dia 25, nosso Bispo Diocesano Dom Dario Campos foi até o litoral capixaba, Paróquia Nossa Senhora do Amparo, em Itapemirim, onde crismou mais de 50 pessoas. O Bispo presidiu a Santa Missa, que foi concelebrada pelo Padre José Carlos Ferreira, Pároco da Paróquia.     Tripla Comemoração   Logo pela manhã de domingo, às 9h, Dom Dario Campos já se encontrava no município de Ibatiba, divisa entre o Espírito Santo e o Estado de Minas Gerias. Na Paróquia Nossa Senhora do Rosário, a igreja lotada acompanhou mais de 120 jovens serem crismados.   No período vespertino, foi a vez da Paróquia Nosso Senhor Jesus Cristo Luz dos Povos, de Irupi, celebrar o Crisma nos seus 99 jovens e adultos. Na ocasião, a Santa Missa foi presidida pelo Padre Antônio Tatagiba Vimercat, Vigário Geral da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim.   Mas na Paróquia Nosso Senhor Jesus Cristo a festa foi multiplicada por três. Além da celebração do sacramento, a Paróquia de Irupi comemorou também a Festa de Cristo Rei do Universo, seu Padroeiro. E fechando os festejos, também foi celebrado os 15 anos de Sacerdócio de seu Pároco, Padre Levy Ferreira das Neves.   Uma tripla comemoração também pelas nossas paróquias. É o "i" de Ibatiba, de Itapemirim e de Irupi. É o "i" de Igreja, sempre unida e perseverante.