Corregedoria pede prisão de mais PM envolvidos em greve

quarta-feira, 22 de março de 2017

Depois de seis policiais militares serem detidos por suspeita de participação na greve da PM, a lista de oficiais e praças presos pode aumentar nos próximos dias. Isso porque, segundo fontes da Corregedoria da Polícia Militar, o órgão pediu a prisão preventiva de mais soldados e um capitão nesta semana.

 

Mulheres de policiais militares bloquearam a entrada do Quartel do Comando Geral, em Maruípe, Vitória, durante 20 dias.

Mulheres de policiais militares bloquearam a entrada do Quartel do Comando Geral, em Maruípe, Vitória, durante 20 dias.

 

A quantidade de militares que podem ser presos não foi divulgada, para preservar as investigações. Mas informações extraoficiais dão conta de que o número de pedidos de prisão preventiva se aproxima de 10.

 

 

Segundo pedido da Corregedoria, as prisões visam garantir a segurança da aplicação da lei penal militar e ainda a exigência da manutenção das normas ou princípios de hierarquia e disciplina militares.

 

 

A maior parte dos nomes citados, mantidos em sigilo, é de soldados acusados de ameaçar e lesionar oficiais, durante cumprimento de mandado de prisão, na Grande Vitória. No grupo, ainda está um capitão acusado de realizar postagens em redes sociais, “ofensivas a superiores hierárquicos e autoridades do governo em apoio ao movimento denominado aquartelamento”, segundo a PM.

 

 

Por: Jéssica Cardoso e Caio Miranda

Ao vivo

Assista à nossa programação.
Acompanhe o melhor da Rádio Diocesana.